Versículo da semana

Versículo da semana: Pois isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. 1Tim. 2. 3-4.

Mc. 10. 46-52 - A cura do cego Bartimeu

    O Evangelho de Marcos, parte final do capítulo dez, nos apresenta a história de um cego mendigo,
tratado pela passagem bíblica como Bartimeu, mas na realidade este não era o verdadeiro nome dele, pois Bartimeu significa: filho de Timeu, pois este era o nome de seu pai.

    A Bíblia mesmo não da maiores detalhes sobre a vida deste homem, apenas que além de cego ele ficava a beira do caminho mendigando. A vida de alguém que mendiga normalmente é uma vida de necessidades, escassez, de muitas privações, em quase todos os sentidos. Além disso Bartimeu ainda era cego o que dificultava ainda mais a sua situação.

    Mas, certo dia ele ouviu que Jesus, o Nazareno estava passando diante dele. Bartimeu reconheceu a sua oportunidade, mas muito mais que a cura ele alcançou transformação de vida! E é a respeito disso que veremos um pouco nesta mensagem.

A incredulidade de Tomé. João 20. 24-29.

 
  Quando se fala em Tomé logo se lembra de incredulidade, isso se dá  pela passagem Bíblica de João capítulo 20 e dos versos 24 à 29 que descreve Tomé duvidando dos outros Apóstolos quanto a aparição de Jesus ressurreto, dizendo que creria apenas se tocasse nos locais onde Jesus havia sido ferido pelos cravos e pela lança, então testificaria que era o mesmo.

    Os motivos que levaram Tomé a agir com incredulidade podem ser diversos, mas não vamos aborda-los hoje porque não é o foco desta mensagem. Não vamos também condenar Tomé a todo custo afirmando que ele sempre foi incrédulo, até por que existem outros pontos Bíblicos que apontam Tomé agindo de maneira diferente (João 11. 16).

Lampada para meus pés é a tua Palavra e luz para meus caminhos. Salmos 119, 105.

     
"Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos." Sl. 119. 105.

    Eis a razão de muitos estarem nas trevas, inclusive muitos que conhecem a letra, mas não tem a Palavra na sua vida. 

    A sociedade está sucumbindo, caída, vive tropeçando; e tropeça porque não importa o tanto que tentem abrir olhos estão nas trevas, na mais escura treva, num breu que não lhes permite ver nada.

    Irmão(a) se na sua casa, que é um lugar que você conhece, ficar escuro, e andando por ela ainda tropeça nos cantos, na mesa, na cama, e você fica tentando tatear para ver se descobre com precisão onde está, imagine nas estrada da vida? O amanhã nós não conhecemos, é uma estrada onde nunca passamos, mas vamos ter de enfrentá-la. Se no escuro já é fácil tropeçar, se machucar, onde conhecemos, como será então no desconhecido?

    É por isso que as pessoas estão caídas, e vivem caindo, satanás arma suas armadilhas e ela cai, existe um precipício diante dela e ainda não percebeu o perigo de continuar andando assim por causa da escuridão em que vive. 

    Seria mais inteligente levar consigo uma luz para alumiar o caminho, mas no caso do caminho da vida só existe uma lampada eficaz que produzirá a luz necessária para que você veja e consiga discernir por onde está andando. 

O que você vê em Jesus quando olha pra Ele? Existe falsos e verdadeiros discípulos?

    Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: vós me procurais, não porque vistes sinais, mas porque comestes dos pães e vos fartastes. João 6. 26.

    Vamos analisar um pouco está expressão de Jesus. À pouco Jesus havia multiplicado pães e peixes e uma multidão que estava a sua volta saciava-se desta  multiplicação.  Depois do ocorrido o Senhor se retirou dali ao monte para orar.

    No dia seguinte quando Jesus já havia se ausentado daquele lugar passando o mar, foi novamente encontrado por aquela mesma multidão que o procurava, e ao ser indagado por eles é que Jesus responde tais palavras registradas no verso a cima. 

    Ao longo do capítulo 6 nós vemos um dialogo que acontecia entre Jesus e essas pessoas, no qual o Senhor afirma ser o Pão da Vida. 

O que nos cerca exerce influência sobre nós.


  O texto a seguir usaremos como exemplo para o assunto que iremos abordar.

    palavra que veio a Jeremias, acerca de todos os judeus, que habitavam na terra do Egito, em Migdol, em Tapanes, em Mênfis, e no país de Patros: Assim diz o Senhor dos exércitos, Deus de Israel: Vós vistes todo o mal que fiz cair sobre Jerusalém, e sobre todas as cidades de Judá; e eis que elas são hoje uma desolação, e ninguém nelas habita; por causa da sua maldade que fizeram, para me irarem, indo queimar incenso, e servir a outros deuses, a quem eles nunca conheceram, nem eles, nem vós, nem vossos pais. Todavia eu vos enviei persistentemente todos os meus servos, os profetas, para vos dizer: Ora, não façais esta coisa abominável que odeio! Mas eles não escutaram, nem inclinaram os seus ouvidos, para se converterem da sua maldade, para não queimarem incenso a outros deuses. Jeremias 44. 1-5. 
  
    Apesar de terem sido exortados pelos profetas de Deus para não irem ao Egito os Judeus não quiseram dar ouvidos a palavra do Senhor por intermédio dos profetas. Obviamente ao chegarem no Egito se depararam com a cultura e os costumes egípcios. 

Vinde a mim... Mateus 11. 28-30.

    Olá!
    Hoje iremos falar um pouco sobre uma passagem bíblica muito conhecida que diz assim:

    "Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso." Mt. 11. 28.

    Pois bem, dificilmente encontraremos uma pessoa que nunca tenha ouvido este verso bíblico. Mas, a fala de Jesus sobre este assunto não se encerra no verso 28, ela se estende até o verso 30, e, é sobre isso que iremos falar aqui hoje.

    Quando Jesus diz venham a mim todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso, Ele está fazendo um convite! Vejam: Venham a mim... 
    Agora antes de falar a respeito do convite de Jesus quero lhe esclarecer que existem outros convites sendo feitos por aí. Vamos a um exemplo.

     "Disse, porém, Caim a seu irmão Abel: "Vamos para o campo". Quando estavam lá, Caim atacou seu irmão Abel e o matou." Gn. 4. 8. 

Deus é nosso refúgio, fortaleza e socorro. Sl. 46.

    Sabemos que muita gente sofre neste mundo, famílias destruídas por problemas no casamento ou com os filhos, pessoas com problemas financeiros como dívidas, desemprego ou perdendo tudo o que conquistou com esforço ao longo de anos, problemas de saúde , espirituais, enfim. 

    E muitas das vezes essas pessoas parecem indefesas, sendo bombardeadas de todos os lados, definhando em todos os sentidos, sem esperança, sem um risco de possibilidade de mudança aparente. 

    Mas, quando olhamos para o Salmo 46 nós vemos um Deus disposto a ajudar, se colocando diante de nós como refúgio, fortaleza e socorro! Vamos ver o que essas três coisas representam na prática:

Você tem dado valor a misericórdia de Deus? Descubra!

    Você tem dado valor a misericórdia de Deus?
   
    Responda a si mesmo; sim, não ou até mesmo um não sei.

    Acredito que logo você poderá tirar prova da sua resposta ou então se ainda está em dúvida poderá esclarecer esta questão.

    Vamos agora a um texto bíblico que fala o seguinte:  As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim;  renovam-se cada manhã. Lamentações 3. 22-23. 

    Veja que a Bíblia  nos fala da razão de não ser consumidos e a razão são as misericórdias do Senhor! 
    Agora por que seriamos consumidos? 
  
    A verdade é que o homem é mau, um ser pecador que passa toda sua existência ofendendo o seu criador, até mesmo aqueles que se convertem ao Senhor continuam a ofende-lo com seus pecados. 

    Mesmo que a misericórdia de Deus fosse muito grande, mas ela tivesse um fim então já teríamos sido consumidos, mas ela não tem fim, renova-se a cada manhã. 

    Mas, tudo começa com o amor de Deus que nos torna alvos da sua graça e misericórdia. Vamos ver a diferença entre as duas coisas.

Quem será recebido por Deus? Sl. 24. 3-5.

   
   Deus é soberano, Ele é o SENHOR absoluto sobre tudo o que existe, está no Santo Lugar. Todos querem ser filhos de Deus, mas, quem poderá subir ao Céu e ser recebido por Deus?

    Este Salmo retrata o perfil de um homem que viveu dignamente e venceu, portanto agora ele tem o direito de achegar-se ao Rei da Glória e permanecer no Santo Lugar, em comunhão, a desfrutar com o Salvador as bênçãos da salvação.

    Quem será recebido por Deus?
    Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração, Eu provo os pensamentos; e isto para dar a cada um segundo o seu proceder, segundo o fruto das suas ações - Jeremias 17.10.

    01.   O que é limpo de mãos

Ah se o meu povo me escutasse... Sl. 81

    Olá pessoal, hoje o texto será bem objetivo, mas expondo a vocês aquilo que o Senhor colocou em meu
coração a respeito deste Salmo, tendo como verso destacado aqui o de número 13, mas é claro que não abordaremos somente ele, e sim o contexto que o envolve.

    No verso treze o Senhor diz: "Ah! Se o meu povo me escutasse, se Israel andasse nos meus caminhos!" Sl. 81. 13.

    Deus fala de uma maneira como se estivesse desabafando: Aahhhh se o meu povo... mas, por que ele falou desta maneira? Por que Israel estava afastado de Deus. O Senhor clamou ao povo, mas ninguém o atendeu, não ouviram a sua voz.

    "Ouve, povo meu, quero exortar-te. Ó Israel, se me escutasses!" Sl. 81. 8.
    " Mas o meu povo não me quis escutar a voz, e Israel não me atendeu." Sl. 81. 11.

    Israel já havia recebido em outras oportunidades o favor de Deus, o próprio salmo cita a saída do povo Israelense do Egito quando Deus os libertou da escravidão (vs 5-10) e receberam como preceito do próprio Deus o louvor à Ele estar sempre nos seus lábios (vs 1-4), mas o povo esqueceu de tudo isso, do louvor, da benevolência de Deus, de ouvir a voz de Deus.

    Veja que interessante o que diz os versos 11 e 12: "Mas o meu povo não me quis escutar a voz, e Israel não me atendeu. Assim, deixei-o andar na teimosia do seu coração; siga os seus próprios conselhos." 

"Maldito o homem que confia no homem" Jeremias 17. 5

    Vamos a um esboço sobre este versículo bíblico tão conhecido e importante para nós.
 
   "Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, faz da carne mortal o seu braço e aparta o seu coração do SENHOR!"  Jm. 17. 5.

    Agora o que seria este "confiar" que a Bíblia se refere? A continuação do verso nos explica, mas vamos por partes.
    Se não existir da nossa parte "certa" confiança com as pessoas nenhuma relação subsistiria, por exemplo: Se não houver nenhuma confiança do marido para com a esposa ou vice - versa, você acha que essa relação vai muito longe? Não!
    Se não houver "certa" confiança entre o patrão e o empregado você acha que essa parceria vai dar certo? Não!

    O que Deus nos adverte nesse verso é a respeito de fazer da carne mortal o nosso braço, a nossa força, a nossa fonte de recursos, por que quando isto acontece automaticamente a pessoa aparta o seu coração do Senhor.

    E hoje eu te convido a ver este verso por outra ótica pois sempre que lemos tendemos a interpreta-lo

Os justos e os ímpios. Salmo 1

 
  O Salmo de número um trata de justos e ímpios num contraste bíblico, mas certamente você já ouviu por aí alguém dizendo que todo mundo é de Deus. Por um lado sim, por outro não. Pois onde iriam parar os ímpios, os perversos da ótica bíblica?

    Concordo quando alguém diz que todos (seres humanos) são de Deus na seguinte visão: Que todo ser humano é feitura Dele, todo ser humano é criatura Dele, pois fomos criados por Deus e para Deus, o diabo não cria e não criou ninguém. Então neste ponto de vista concordo que todos são de Deus.

    Agora, ninguém pode negar que existe um proceder justo (de acordo com a vontade e palavra de Deus) e um proceder ímpio, perverso (em desacordo com a vontade e palavra de Deus).  

    No verso um veremos três pontos importantes. "Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores." Sl. 1. 1.

Parábola do servo vigilante. Lc. 12. 35-48.

    Mais uma vez o Senhor Jesus nos trás um alerta através de uma parábola, desta vez a respeito da
vigilância que nós temos de ter em relação a nossa alma, pois ela deve estar preparada ao modo de nosso Senhor para que não sejamos pegos de surpresa.

    "Sede vós semelhantes a homens que esperam pelo seu senhor, ao voltar ele das festas de casamento; para que, quando vier e bater à porta, logo lha abram." Lc. 12. 36.

    Os servos deveriam aguardar a volta de seu senhor apostos, em constante vigilância, posto que não sabiam que horas ele viria das festas de casamento então não poderiam adormecer.

    "Bem-aventurados aqueles servos a quem o senhor, quando vier, os encontre vigilantes... Quer ele venha na segunda vigília, quer na terceira, bem-aventurados serão eles, se assim os achar.." Lc. 12. 37, 38.

    Aqui a segunda vigilia compreende de 21hs até às 24hs, e a terceira de 24hs às 3hs. Ou seja não havia um horário determinado, mas sim a certeza de que seu senhor viria, e em nenhuma  hipótese eles poderiam ser pegos dormindo.

    Veja bem, Jesus usa deste exemplo prático para falar conosco dizendo que deveriamos agir de igual modo perante Ele. E quando recebemos este aviso sabemos qual é a vontade de nosso Senhor e como Ele espera nos encontrar, agora veja o verso a seguir.

Isaías 38. 1-8. A doença e a cura do rei Ezequias.

    Ezequias era  rei de Judá, um homem temente a Deus que andava com retidão diante do Senhor, certa feita ele adoeceu e recebeu de Deus através do profeta Isaías um aviso que traria sobre ele uma tristeza muito grande, uma notícia que diga-se de passagem "desmonta" qualquer um. Vamos ver a narrativa bíblica deste acontecimento:

    "Naqueles dias, Ezequias adoeceu de uma enfermidade mortal; veio ter com ele o profeta Isaías, filho de Amoz, e lhe disse: Põe em ordem a tua casa porque morrerás e não viverás." Is. 38. 1.

    Logo após receber este aviso Ezequias fez uma oração na qual colocou diante de Deus a sua vida:  

   " Então, virou Ezequias o rosto para a parede e orou ao SENHOR. E disse: Lembra-te, SENHOR, peço-te, de que andei diante de ti com fidelidade, com inteireza de coração e fiz o que era reto aos teus olhos; e chorou muitíssimo."  Is. 38. 2-3.

    Veja que a oração dele não foi agressiva, não temos aqui o tom de voz que Ezequias usou, mas ao olharmos para esta oração vendo as palavras que ele pronunciou identificamos o que foi relatado  a pouco no começo deste paragrafo. Foi uma oração sincera e de coração.

    Ezequias não blasfemou contra Deus, não "agrediu" o Senhor com suas palavras, mas sim, colocou-se na condição de pecador e dependente de Deus e pediu sua misericórdia.

    Presenciando tudo isso Deus dá uma ordem a Isaías para que volte até o rei e lhe diga algo:

Dicas para quem quer casar!

 
  Casamento é algo muito sério!
    Quantas pessoas você conhece ou pelo menos já ouviu falar que casou mais de uma vez. Na mídia encontramos facilmente pessoas que se casaram várias vezes, mas por que? Ora, por que o casamento anterior não deu certo!
   
    Vamos lá!
    As pessoas dizem: "Me separei porque não era isso que eu esperava deste casamento, me separei por que ele(a) era uma pessoa muito ciumenta, muito possessiva, preguiçosa, infiel, chata, me agredia fisicamente/verbalmente, etc...  Enfim tantos outros motivos e também os mais inusitados possíveis poderíamos citar aqui.

    Sabemos que toda separação traz desgaste, sofrimento, traumas, magoas, que a pessoa pode carregar pela vida toda.
    O que eu quero dizer com isso é que, não seria melhor evitar tudo isso observando melhor a pessoa com que você pretende casar?

    Só o amor é o suficiente para que duas pessoas possam casar?

Afinal, o cristão pode ou não beber?

    Pode ou não pode?
    Esse é um assunto que como diz o ditado: "sempre dá pano pra manga".

    Muitos alegam que a Bíblia proíbe apenas a embriagues, e que, se, a pessoa sabe se controlar pode tranquilamente consumir bebida alcoólica, outros defendem que um cálice de vinho por dia faz bem pro coração.

    Mas, também tem aqueles que defendem ferrenhamente que o cristão não pode beber e pronto!

    E você amigo(a) leitor(a) encara isso de que maneira?
    A seguir assista este vídeo que esclarecerá sobre o assunto.

Como começou o natal? Qual a origem da árvore de natal e do papai noel? Leia e reflita!

    Você já parou para se perguntar o porque, de certas coisas que faz?  
    A maioria das pessoas não! Elas simplesmente aderem a certas tradições, maneira de viver, faz suas escolhas, etc. Por que viu e vê seus pais fazendo, seus vizinhos fazendo, a mídia incentivando, enfim, todo mundo faz, então deve ser certo.

    Assim muitos cristãos acabam praticando atos e 'rituais' pagãos originários dos séculos passados!
    Por exemplo, não encontramos na bíblia nenhum referencial para que se comemore a nascimento de Jesus; no evangelho segundo Lucas capitulo 2 vemos uma situação na qual um anjo aparece a pastores que estavam no campo com as  ovelhas a noite e lhes disse que trazia boas novas de alegria para eles e todo o povo, e anunciou o nascimento do Redentor. Mas, não vemos Jesus nem seu discípulos comemorando o dia do aniversário de seu nascimento, o que nos é orientado é  a relembrar biblicamente a MORTE do nosso Salvador, e a biblicamente pregar esta MORTE e seu significado, a vitoriosa RESSURREIÇÃO do nosso Salvador, Sua próxima VINDA gloriosa, sua mensagem de SALVAÇÃO para os que crêem verdadeiramente.

    Então onde e quando foi criado o natal, a árvore de natal e o papai noel?
    Já se fez esta pergunta? Vamos lá!

O que é santidade?

   Lamentavelmente, os escândalos ocorridos nas igrejas vêm confirmar nosso entendimento de que em muitos ambientes evangélicos, a santidade de vida, a ética e a moralidade estão completamente
desconectados da vida cristã, dos cultos, dos milagres, da prosperidade em geral.

   Uma análise do conceito bíblico de santidade destacaria uma série de princípios cruciais, dos quais destaco alguns aqui:

Fé inabalável, Salmo 125

     "Os que confiam no Senhor são como o monte Sião, que não se abala,  firme para sempre." Sl.
125. 1.

    Vemos claramente a condição que o salmo 125 verso 1 nos coloca para não sermos abalados, que é confiar no Senhor.
 
    A primeira coisa que quero lhe dizer e que vai nos abrir ainda mais os olhos em relação a essa passagem é que: Ninguém confia em quem não conhece! 

De quem é a culpa por este casamento?

    Já parou para pensar que, quando algo dá errado, surge algum problema, ou as coisas não estão indo como deveriam, o culpado destes acontecimentos nunca é você? Este é o julgamento que normalmente  fazemos em nossa mente, afinal é mais fácil culpar os outros do que assumir a culpa pelo erro.

    Isso acontece em todas as áreas da nossa vida, mas hoje vamos focar no casamento. Normalmente quando o casamento não vai bem, está passando por vários problemas, o conjugue (agora falando das duas partes) já tem uma lista elaborada, facilmente, dos erros que seu adversário companheiro(a)  tem cometido, e que no caso, é o motivo da relação estar no estado em que está!

    Vamos tomar um exemplo bíblico de algo que aconteceu com Davi.