Versículo da semana

Versículo da semana: Pois isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. 1Tim. 2. 3-4.

A Ressurreição de Lázaro


  Na cidade de Betânia um acontecimento reúne dezenas de pessoas. Lázaro, irmão de Marta e Maria, após dias de sofrimento, morre. Um mal repentino acometeu o amigo amado de Jesus em um momento em que Este estava a três quilômetros de distância, em Jerusalém.

 


    Tão logo as irmãs de Lázaro percebem a gravidade do estado de saúde do irmão, enviam um mensageiro até Jesus. Marta e Maria acreditam que Jesus virá correndo para salvar Lázaro da morte. As irmãs se revezam nas idas e vindas à porta, olham para o caminho, na esperança de saudarem Jesus e festejarem a cura de Lázaro. Não dormem a noite, somente oram para que Jesus chegue a tempo, o que não acontece. Ficam frustradas, teria Ele esquecido? Abandonado os amigos?


    A vontade de Marta e Maria é de que Jesus esteja em Betânia, a dos discípulos, de que Jesus não saia de Jerusalém, porque os judeus procuram matá-lo. Discípulos amedrontados, amigos desolados, e Jesus convicto da direção de Deus. Após receber o aviso da doença de Lázaro, permanece ainda por dois dias em Jerusalém.


    Mesmo distante, Jesus sente quando Lázaro da o último suspiro, ao que diz: “Lázaro, o nosso amigo dorme, mas vou desperta-lo do sono” Jo 11:11. Testemunhas de vários milagres de ressurreição, os discípulos não entendem a declaração de Jesus, sobre o sono de Lázaro: “Então Jesus disse-lhes claramente: "Lázaro está morto; e folgo por amor de vós, de que eu lá não estivesse, para que acrediteis, mas vamos ter com ele” Jo: 11:14,15”.


    Impressiona-me o fato de ninguém cogitar a ressurreição de Lázaro. Em Betânia, Jesus tenta “arrancar” alguma declaração de fé, mas tudo que ouve são reclamações, lamento, choro. É como se Ele não estivesse presente. Jesus chorou (Jo 11:35) . Sempre imaginei Jesus chorando silenciosamente, quase discretamente, seu olhar fixo no túmulo de Lázaro, sua face e seus lábios imóveis. Mas não. Jesus chorou alto. Como? Isso mesmo, todos ouviram a voz de Jesus em seu choro profundo.

    “Jesus moveu-se muito em espírito e perturbou-se” (v 33 e 38). Movendo-se embrimaomai; Strong 1690: derivado de em, “em”, e brime, "força”. A palavra é usada para exprimir irritação, para indicar uma fala ou ação com sentimento profundo e para repreensão severa.

    Como poderia Ele mover-se com força e irritação e chorar mansamente? Ele se compadece do sofrimento das irmãs, da comoção dos judeus ali presentes! Jesus brada com muita força para que a morte deixe Lázaro! E é justamente isso que diz o texto Bíblico: “Clamou com grande voz: Lázaro, sai para fora” Jo 11:43. Aquele lugar estremece, é sacudido pela unção que quebra o jugo da morte, do seu amigo, amado. Aleluia!

    A passagem Bíblica de João 11 é rica em lições, tantas que renderiam um livro, mas quero me ater ao fato de Jesus ressuscitar Lázaro, estando este quatro dias na sepultura.

 
                “Ressuscitando Lázaros”



    O silêncio de Deus, não significa abandono, significa “Propósito”. Se existe algo pelo qual estamos clamando e ainda não vimos resultado, confiemos no Senhor, Ele jamais desampara seus amigos, os que amam Sua presença e anelam por ela, como Marta e Maria. Jesus considera nossa fraqueza, as irmãs de Lázaro, temeram, ficaram desoladas, cheias de dúvidas, mas Jesus veio aleluia! E quando Ele vem tudo se transforma! Nem mesmo a morte, o mais terrível mal da humanidade, nos afasta desse Amor, ela não tem domínio sobre os filhos de Deus.

“Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto viverá” Jo 11:25.

    Não sei quanto tempo mais Lázaro viveu, após ter sido ressuscitado por Jesus, tudo que sei é que seu testemunho salvou e continua salvando vidas no mundo inteiro. E tudo porque Jesus “chegou atrasado”. Podemos achar que Ele está atrasado para resgatar situações ou pessoas “da sepultura”, mas Ele jamais erra à hora.


    A maior declaração de fé em toda a história da Ressurreição de Lázaro foi feita por Marta, ao retirar a pedra do sepulcro. Ela não obedeceu a sua vontade, nem a dos judeus presentes, que acenavam com a cabeça negativamente, dizendo: “Não Marta, não tire a pedra, ele está morto, já fede”! Ela quase acredita na mentira, nos murmurinhos nascidos nas trevas da incredulidade. Mas venceu, tão somente porque olhou para Jesus e confiou em Sua Palavra.

“Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus”? Jo 11:40


    Que nós, a semelhança de Marta, removamos “a pedra do sepulcro” e confiantes em Cristo, autor e consumador da nossa fé, prossigamos certos de que Sua vontade é sempre para o nosso bem. A Ressurreição de Lázaro era a alternativa improvável, impossível para os que vivenciaram a dor da família enlutada. Todos duvidavam, até que uma semente de fé germinou no coração de Marta, ela creu contra a multidão e viu a glória de Deus. Que assim seja conosco. Soli Deo Glória.


Baseado em João Cap. 11
Bíblia de Estudo Plenitude.


Por: Wilma Rejane    
Fonte:  www.atendanarocha.com 

Um comentário:

  1. Irmão Michel, esta foi uma importante mensagem. Precisa ser mais divulgada e compartilhada.

    A propósito, estarei seguindo o seu blog. Muito abençoado. Se puderes (e quiseres), sinta-se livre para, igualmente, pagar uma visita e "seguir" um blog de feitura minha. O título e respectivo endereço constam a seguir: "UM OLHAR PARA MAIS ALÉM"

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...